Política São Paulo

Márcio França tem currículo invejável

Compartilhe nas redes sociais!

Estamos próximos ao início das campanhas 2020 , e na cidade de São Paulo uma coisa é certa , Marcio França tem um currículo de invejar qualquer candidato . O experiente ex-governador de São Paulo (2018) já trabalhou no legislativo e executivo , e seu mandato pelo Governo de São Paulo foi muito elogiado apesar do breve período que ficou no comando do Estado.

Porque seu currículo seria invejado ? Vejamos;

Márcio Luiz França Gomes (Santos, 23 de junho de 1963) é um político e advogado brasileiro , foi governador de São Paulo, de 2018 até 2019.

França estudou direito na Universidade Católica de Santos, presidindo o diretório acadêmico da instituição. Após graduar-se, trabalhou como oficial de justiça por quase uma década. Em 1986, casou-se com Lúcia, com quem teve dois filhos—incluindo o deputado Caio. Em 1988, ingressou no PSB, o único partido político a qual esteve filiado.

Em 1989, assumiu o cargo de vereador em São Vicente, cidade que foi eleito prefeito em 1996 e reeleito em 2000, com 93% dos votos válidos.

Em 2006, elegeu-se deputado federal, reelegendo-se em 2010.

Em 2011, assumiu a secretaria de Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo.

Em 2014, França foi eleito vice-governador após a posse, assumiu também a função de secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.

Avanço de Marcio França na vida pública

São Vicente :

Em 1988, França filiou-se ao PSB, o único partido político em que esteve filiado. Naquele ano, elegeu-se vereador com São Vicente em 472 votos, reelegendo-se em 1992 com 1 082 votos. Em 1996, foi eleito prefeito da cidade com 44,3% dos votos válidos. Durante seu mandato, focou na área social, buscando incentivar o turismo e a criação de empregos, além de realizar obras de infraestrutura e ações culturais. França criou o projeto Jovens no Exercício do Programa de Orientação Municipal, um programa de alistamento civil que oferecia o primeiro emprego para jovens de 18 anos em condições de vulnerabilidade. Em 2000, reelegeu-se prefeito com 93,1% dos votos. Ao deixar o cargo, elegeu seu sucessor com 84% dos votos.

Deputado Federal:

França foi eleito deputado federal na eleição de 2006 com 215 mil votos (1,04%), o nono mais votado do estado e o segundo do PSB em todo o país, atrás apenas de Ciro Gomes.

 Em 2010, foi reeleito deputado federal com 172 mil votos (0,78%).

Secretário e vice-governador

França discursando em abril de 2017.

Em 2011, França assumiu a secretaria de Esporte.

Como o primeiro secretário da pasta, implantou programas turísticos de acesso à população, como o Roda SP, que oferecia roteiros culturais e históricos na Baixada Santista.

Para a eleição de 2014, Alckmin escolheu França como o candidato a vice-governador em sua chapa.

 Com a vitória, juntamente com suas atribuições como vice-governador, França foi designado secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Neste cargo, deu inicio a expansão da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), cujo número de vagas subiu de 3 mil para 55 mil vagas, oferecendo cursos gratuitos para 290 cidades, e criou o Mercado SP para os produtos rurais paulistas, além de incrementar os parques tecnológicos.

Governador

O Governador Márcio França participa da entrega de medalha da Ordem do Ipiranga. Local: São Paulo SP. Data:21/12/2018. Foto: Governo do Estado de São Paulo

Em 6 de abril de 2018, Alckmin renunciou ao cargo de governador para concorrer a presidente, fazendo de França o novo governador de São Paulo. 

Mesmo antes de ser empossado, já planejava concorrer à reeleição na eleição de 2018.

 Em agosto, o PSB oficializou seu nome para a reeleição ao governo, com a coronel Eliane Nikoluk como candidata a vice-governadora.

 No primeiro turno, ficou em segundo lugar com 4,3 milhões de votos, o que corresponde a 21,53% dos votos válidos, e disputou o segundo turno contra João Doria, do PSDB.

 Para o segundo turno, recebeu o apoio de representantes de ideologias diversas, desde  Paulo Skaf a Major Olímpio, senador eleito apoiador de Jair Bolsonaro.

Sem dúvida as eleições de 2020 não serão moleza , muitos candidatos estão no páreo , por isso é importante que o eleitor analise cada um com muita cautela e responsabilidade.

O Jornal de São Paulo acompanhará as eleições 2020 e trará informações atualizadas dos candidatos e andamentos eleitorais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *